A REPRESENTATIVIDADE LGBTQIA+ NAS OBRAS DO GRUPO CLAMP

CLAMP é um grupo de mangakas formado atualmente por quatro artistas mulheres: Nanase Ohkawa, Mokona, Tsubaki Nekoi e Satsuki Igarashi. O grupo se formou originalmente em 1980, quando contava com mais de 10 artistas em sua formação. Naquela época, o grupo começou com a produção de doujinshis (mangás independentes), principalmente sobre "Cavaleiros do Zodíaco", aonde elas exploravam relações homossexuais entre os personagens.


Com sucessos como "Card Captor Sakura", "X/1999", "xxxHolic" entre outros, o grupo CLAMP sempre foi bastante conhecido também por abordar temas relacionados a comunidade LGBTQIA+. Apesar de não dizerem com todas as letras as identidades de seus personagens, elas colocam, sim, representatividade em suas obras. E isso acabou ressoando em várias pessoas da comunidade, que se viram representadas nas histórias e personagens.



CLAMP sempre fez parte da minha vida e elas são as minhas mangakas favoritas, então compilei aqui uma grande lista de (quase) todos os personagens LGTBQIA+ nas obras do grupo. Lembrando que a maioria não é confirmado de maneira oficial e muitas coisas ficam livres para interpretação e que cada pessoa pode ter uma interpretação diferente das obras. É importante lembrar também que o contexto japonês é totalmente diferente do nosso e de outros países.


Esse post pode conter spoilers de algumas das obras citadas.


SOUMA E KENDAPPA DE "RG VEDA"

Souma e Kendappa são personagens da primeira obra do grupo, "RG Veda". Na história, Kendappa é líder do seu clã e uma musicista. Ela encontrou Souma um dia vagando pela floresta e acolheu-a. As duas acabam se apaixonando e são retratadas como um casal dentro da história.


ASHURA E YASHA DE "RG VEDA" E "TSUBASA RESERVOIR CHRONICLE"


Além do fato de o gênero de Yasha não ser definido, os dois personagens tem seu relacionamento explorado tanto no mangá de "RG Veda" como no mangá de "Tsubasa Reservoir Chronicle", em forma de crossover, algo que CLAMP adora fazer. Em RG Veda fica clara a ligação dos dois e em Tsubasa eles são representados como amantes também.



No passado, em "RG Veda", também é mostrado que Ashura teve um relacionamento com o personagem Taishakuten. Os dois até tem uma cena que já é um clichê/tropo dentro das obras CLAMP, aonde um personagem beija o cabelo do outro, ato que só acontece entre personagens que são um casal no universo CLAMP.


SUBARU E SEISHIROU DE "TOKYO BABYLON"

Em "Tokyo Babylon", Subaru é lider de seu clã e investiga casos estranhos em Tokyo, usando seus poderes. Ele e sua irmã gêmea Hokuto são amigos do veterinário Seishirou. Subaru é apaixonado por ele e até sua irmã sabe. Mas as aparências enganam e Seishirou esconde um lado obscuro, além de uma obsessão doentia por Subaru. Subaru fica subentendido como sendo gay e Seishirou futuramente corresponde os sentimentos, mas esse não é um casal saudável no universo CLAMP. Os dois voltam a aparecer em "X/1999", aonde é mais aprofundada ainda a história deles.



FUUMA E KAMUI DE "X/1999"


No centro da história de X está a relação de Kamui com seus dois amigos de infância, Fuuma e sua irmã Kotori. A relação dos três é muito próxima, mas logo se torna trágica. Sem spoilers, fica claro os sentimentos de Kamui pelo amigo, mas se isso é recíproco, não dá para saber. Mas que a obra possui inúmeros momentos homoeróticos não dá para negar.

Além dos dois, tem também as suas mães. Sim, as mães do Kamui e Fuuma, Tooru e Saya. É revelado na história que as duas seriam apaixonadas uma pela outra. Outro personagem é Sorata que, apesar de apaixonado por Arashi, flerta com Kamui o tempo todo. Outro personagem que parece ter um crush em Kamui é Keiichi.



NATAKU DE "X/1999"


A história de X tem vários elementos de ficção científica. Nataku é uma criação, uma forma de vida artificial, desenvolvida através do material genético de Kazuki, uma menina. Ela morre, e para tomar seu lugar Nataku é criado. Na história, vemos Nataku lidar com isso, além de sua identidade de gênero estar no centro de seu desenvolvimento como personagem. Nataku é andrógeno e dito como não tendo um gênero, ou seja agênero, o que entraria dentro do termo guarda-chuva não-binário.



KOHAKU DE 'WISH'


Em 'Wish", temos na história tanto anjos quanto demônios, e CLAMP adora deixar os gêneros desses personagens em aberto. Apesar dos anjos terem uma aparência mais feminina e os demônios mais masculina, isso não significa muito. No começo da história, Shinichiro (par romântico de Kohaku) trata Kohaku como mulher e Hohaku o corrige, mas diz também que não é um homem. Aqui no Brasil. na edição do mangá, são usados pronomes femininos para se referir a Kohaku. Possivelmente lá fora, seja usado o pronome neutro "they", já que é mais comum usar esse pronome neutro nessas situações.



HISUI E KOKUYO DE 'WISH'

Hisui é o arcano do Vento e mentor de Kohaku, protagonista do mangá. Hisui se apaixona pelo príncipe do inferno e filho de Satã Kokuyo. Kokuyo também se apaixona por Hisui e os dois decidem viver na Terra para poderem ficar juntos. Desafiando o céu e o inferno pelo amor! Eles posteriormente aparecem em "Legal Drug" também, com identidades diferentes.



KAKEI E SAIGA DE "LEGAL DRUG E DRUG & DROP"


Sim, os mesmos personagens anteriores só que com outra identidade. Kakei é o dono de uma drogaria aonde os protagonistas da história Kazahaya e Rikuo trabalham. Saiga é um homem misterioso que está sempre pela drogaria fumando e usando óculos. Mais para frente descobrimos que eles são os mesmos dois personagens que aparecem também em "Wish", só que desfarçados. CLAMP adora fazer crossover entre suas obras e é isso o que acontece aqui, dando a entender que "Wish" e "Legal Drug" se passam no mesmo universo.


KAZAHAYA E RIKUO DE "LEGAL DRUG E DRUG & DROP"


Os protagonistas de "Legal Drug e Drug & Drop" possuem uma carga enorme de subtexto. São aqueles personagens que começam se odiando, mas que depois fariam de tudo para salvar um ao outro. Seus destinos estão completamente interligados e o que não falta são artes que deixam a entender que há algo a mais entre os dois, assim como com Fuuma e Kamui. Além, claro, de indícios dentro da própria história, principalmente por parte de Rikuo.



YUKI DE "CLAMP SCHOOL DETECTIVES"

No universo CLAMP, existe uma escola com o mesmo nome do grupo, que aparece em várias obras. Uma delas é "Clamp School Detectives", aonde existe a personagem Yuki, uma menina trans, que quer se tornar uma atriz. A transsexualidade é algo lidado com naturalidade nas obras CLAMP. Yuki é a menina loira na imagem.



LANTIS, EAGLE E GEO DE "GUERREIRAS MÁGICAS DE RAYEARTH"


Na história, Lantis é um grande guerreiro espadachim, irmão de Zagato. Já Eagle é um comandante respeitado residente de um planeta vizinho de Cephiro, Autozan. Os dois aparecem na segunda parte do mangá/anime e claramente tiveram um passado juntos. Os dois se reencontram, retomando o relacionamento e formando uma grande ligação com Hikaru. No final do mangá, Hikaru afirma que gostaria de se casar com Lantis e com Eagle. Sim, CLAMP dando a entender que essa seria uma relação poliamorosa, já que os três claramente se amam. E não é a primeira vez que CLAMP faz isso em suas histórias.


Além disso, ainda em "Guerreiras Mágicas de Rayearth", tem o personagem Geo, que trabalha com Eagle, que claramente tem sentimentos por ele, mas não é correspondido.





TOUYA E YUKITO DE "SAKURA CARD CAPTOR"


Talvez o casal LGBT mais famoso das obras CLAMP na história mais queer e inclusiva do grupo. No mangá/anime, Sakura é apaixonada pelo Yukito. melhor amigo do seu irmão Touya. É impossível não notar que os dois são próximos e em determinado momento Yukito confirma para Sakura que Touya é a pessoa que ele mais ama. Touya também ama Yukito, mas no passado teve um relacionamento com uma mulher, dando a entender que ele seria bissexual ou panssexual.



TOMOYO DE "SAKURA CARD CAPTOR"


Tomoyo é a melhor amiga de Sakura. Ela é uma das únicas pessoas a saber o segredo de sua amiga e costura as roupas para ela usar em suas missões. O carinho que Tomoyo sente por Sakura é claramente mais que amizade. Mesmo sabendo que não terá seu sentimento correspondido, Tomoyo fica feliz por ver Sakura feliz. No mangá, há uma fala dela inclusive, aonde ela diz que o seu amar é diferente do da Sakura, implicando que ela é realmente lésbica e apaixonada pela amiga. Além de Tomoyo, tem também a sua mãe, Sonomi, que era claramente apaixonada por sua prima, Nadeshiko Kinimoto. Sim, a mãe de Sakura. Sakura e Tomoyo são primas de segundo grau.



YUE E RUBY MOON DE "SAKURA CARD CAPTOR"


Yue e Ruby Moon são dois guardiões e criaturas mágicas. Yue é a outra identidade de Yukito, enquanto Ruby Moon é a outra identidade da aluna Nakuru. Nakuru/Ruby Moon não teria gênero definido, mas sua expressão de gênero é feminina e ela usa pronomes femininos. Tem até uma cena em que Spinel Sun comenta sobre seu uniforme feminino, e ela diz que escolheu porque achou mais bonito que o masculino, e tudo é tratado de maneira super casual. Yue também não teria gênero definido, mas prefere uma identidade masculina. Yue também tem uma relação muito forte com Touya por causa de Yukito. Já quando o Mago Clow era vivo, Yue nutria um sentimento muito forte por ele, dando a entender algo romântico.


Como já deu para perceber, é bem comum seres mágicos no universo CLAMP não terem um gênero definido. É algo de certa forma complicado, pois não daria para dizer que foi uma intenção das mangakas de mostrar personagens não-binários. Até porque é algo que começou a ser debatido recentemente, ainda mais no Japão com o termo x-gender, mas as experiências dos personagens se encaixariam, sim, numa vivência trans/não-binária.



SAKURA E SYAORAN DE "SAKURA CARD CAPTOR"


Sim! Apesar de Sakura e Syaoran ficarem juntos e serem um casal, a sexualidade dos dois se mostra bastante fluida na história. Com Syaoran tendo um crush em Yukito, e Sakura na professora Mizuki. Claro que alguém poderia afirmar que isso aconteceu porque ambos personagens, Mizuki e Yukito (por causa de Yue) tem poderes ligados a lua e é mostrado que tanto Sakura quanto Syaoran tem uma sensibilidade à isso. Mas isso não explicaria totalmente o que acontece e fica aberto a interpretações, ainda mais quando Syaoran se torna literalmente um rival da Sakura e os dois brigam pela atenção de Yukito. Em certo momento, eles tem até uma conversa sobre isso, aonde Sakura lido com naturalidade o fato de Syaoran também ter sentimentos por Yukito.



Não tenho a fonte salva, mas já vi li entrevistas aonde Nanase Ohkawa fala que o trio principal, Syaoran, Sakura e Tomoyo não seria hétero. Li até em alguns lugares que Sakura seria panssexual. Não dá para saber com certeza, mas é legal que, não importa de quem Sakura ou Syaoran gostem, o gênero da pessoa não parece ser um problema.


WATANUKI E DOUMEKI DE 'XXXHOLIC'


Outra obra CLAMP cheia de subtextos, principalmente entre os personagens Watanuki e Doumeki. Doumeki, em especial, é mostrado como tendo sentimentos fortes por Watanuki e fazendo de tudo para protegê-lo, até mesmo sacrificando um olho por ele (algo também muito comum nas obras CLAMP). Watanuki também se sacrifica por Doumeki, mas se ele corresponde esses sentimentos não dá para afirmar com certeza.



Além disso, em "xxxHolic", mais uma vez temos personagens que não tem um gênero definido, como espíritos da chuva, por exemplo. Além de Jorougumo, uma Yokai metade mulher, metade aranha, que passa uma vibe bastante queer. Outra personagem é a própria Yuuko, que flerta com várias pessoas. Se isso é só parte da personalidade dela ou se ela seria realmente queer não dá para dizer com certeza.


KUROGANE E FAY DE "TSUBASA RESERVOIR CHRONICLE"


E para terminar essa lista, eu venho falar do meu shipp/casal favorito das obras CLAMP. Outra dupla de personagens que tem uma carga pesada de subtexto. Para contexto: Em Tsubasa, Syaoran precisa viajar pelo tempo-espaço/dimensões para recuperar as memórias da princesa Sakura, que foram espalhadas em formas de penas. Os personagens tem os mesmos nomes, mas não são os de "Sakura Card Captor".


Nessa jornada, quem os acompanha é o ninja Kurogane e o misterioso mago Fay. De início, os dois se estranham. Mesmo assim, Fay flerta descaradamente com Kurogane o tempo todo. Fay esconde muitos segredos e dores do passado e é através de sua relação com os outros, e principalmente Kurogane, que ele vai mudando. Kurogane também amadurece muito e a ligação dos dois é explorada bastante no mangá.



Pode passar despercebido para o olhar mais desatento, mas os sinais estão todos na obra. Até mesmo quando o mangá termina, os dois continuam juntos, viajando ao lado de Syaoran, não querendo se separar e parecem muito um casal. Dentre os momentos mais marcantes estão: Kurogane dando seu próprio sangue para que Fay virasse um vampiro e não morrese. Kurogane cortando o próprio braço para salvar Fay. E Fay sacrificando sua magia para pagar o preço para que Kurogane conseguisse um braço sintético. São inúmeros momentos dentro da história. E, mais uma vez, tem bastante subtexto nas artes oficiais em que os dois aparecem juntos, assim como vários outros casais CLAMP.



CLAMP sempre gostou de mostrar em suas obras que cada um tem a sua pessoa destinada, "sua pessoa especial". Seja isso romântico ou não, claro. Por que, afinal, não querer algo romântico e/ou sexual está okay também e eu não poderia esquecer das pessoas assexuais e arromânticas (até porque eu sou ace). Mas várias dessas obras tem, sim, casais LGBT explícitos e casais cheios de subtexto, além de pessoas que fogem do cisnormativo.


É legal ver que o grupo representa todos os tipos de amor da forma mais natural possível, não mostrando diferenças. Isso é uma das coisas que mais me atrai nessas obras. Não só as histórias incríveis, mas também a forma como essas mangakas desenvolvem o relacionamento humano, da forma mais plural possível.

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo