MANGÁS QUEER INSPIRADOS EM HISTÓRIAS REAIS


Alô alô, fujins! Sou Juna (@junaescritora no Instagram) e é um prazer imensurável estar aqui com vocês. Imagine só a minha surpresa quando fui chamada para resenhar no YB, saí dando pulinhos de alegria! Acompanho o blog há um tempinho e sempre fui fã de suas notícias sempre tão concisas e pontuais sobre a indústria mais arco-íris de todas, poder fazer parte disso é mágico.


Vamos ao que interessa, selecionei dois títulos auspiciosos para marcar a minha estréia. Vale lembrar que o segundo mangá pertence à demografia seinen, embora seja panfletado como BL.



Ficha Técnica

  • Nome: Tatoeba Konna Koi no Hanashi | たとえばこんな恋のはなし (em inglês, For Example, Such a Story of Love)

  • História & Arte: Hamada Kamome

  • Capítulos: 6

  • Status: Finalizado

  • Ano: 2017


Às vezes, certas vivências são tão surpreendentes que devemos transformá-las em ficção para que mais pessoas possam conhecê-las ㅡ é o caso de Tatoeba Konna Koi no Hanashi. Completo em meia dúzia de capítulos e desenhado pelas mãos de Kamome Hamada, o mangá ganhou destaque por ser descrito como o primeiro relato autêntico da indústria do Boys Love, baseando seus personagens principais em um casal homossexual da vida real.


A história do mangá se passa na província de Kanagawa, Tóquio. Logo ao iniciarmos a leitura somos apresentados a Akira, nosso protagonista, que nunca teve a sorte de estar em um relacionamento romântico e bilateral. Certo dia, um sujeito inoportuno comenta em uma publicação do seu blog de culinária: "... suas habilidades na cozinha são boas porque você é homossexual?" e o enredo se desdobra a partir dessa confusão.


Manga Trailer


Apesar desse primeiro contato completamente ofensivo, os dois continuaram conversando on-line até que um dia seu amigo virtual anunciou que se mudaria para morar com ele em Tóquio. Para Akira, que jurou que jamais se apaixonaria por um homem hetero, a coabitação se tornou muito mais difícil do que o imaginado.


Com doses de humor e fluffy na medida certa, Tatoeba Konna Koi no Hanashi narra a rotina dos dois rapazes e, por fim, o enfrentamento do maior obstáculo da vida de Akira: se assumir para a família. O casal Akira e Masaru nos ensina que o amor genuíno é agridoce como um melaço de romã, e também que, às vezes, mal-entendidos podem nos levar a coisas boas.


Em síntese, o mangá nos deixa cara a cara com uma narrativa cotidiana embalada numa história leve, sem reviravoltas extraordinárias ou dramalhões típicos de novela mexicana, então não espere por pontos de conflito explosivo cheio de emoções arrebatadoras. Além do mais, o traço não é dos melhores. Se você preza muito pelo estilo da arte ao escolher uma nova leitura, as inconsistências anatômicas no trabalho visual de Hamada-sensei podem não te agradar.


A parte mais interessante da leitura são as entrevistas e comentários de Yanagi Kento nas últimas páginas do mangá, o homem real que Hamada entrevistou para transformar a história de sua vida em quadrinhos. Quase tive uma overdose de fofura! Yanagi é divertido, apaixonante, mas teimoso de um jeitinho adorável. Podemos ver de perto e entender o que incentivou Hamada-sensei a desenhar esta linda história.


Um pouco da Entrevista & Vivência de Yanagi Kento.

 


Ficha Técnica

  • Nome: Boku ga Otto ni Deau Made | 僕が夫に出会うまで (em inglês, Until I Meet My Husband)

  • História: Ryousuke Nanasaki

  • Arte: Yoshi Tsukizuki

  • Capítulos: 12

  • Status: Finalizado

  • Ano: 2020


O mangá inicia-se com a cerimônia de casamento do protagonista, onde tudo é muito lindo, emocionante e feliz, mas a história não é narrada a partir dali. Vamos assistir de camarote a trajetória dolorosa do protagonista até alcançar o seu “felizes para sempre”, então preparem os lencinhos!


Manga Trailer


É uma leitura esmagadoramente honesta, necessária, comovente e com alto potencial de identificação para o público LGBTQIA+ amante de BL: dói vê-lo ser intimidado quando criança por parecer "feminino", refém das cobranças que caíam sobre si para agir e se portar como um “garoto normal”. Nanasaki chegou a pedir a Deus para que pudesse mudá-lo.


Quando viajou para Tóquio, Nanasaki descobriu outras pessoas como ele ㅡ e ao contrário do que se pode imaginar, não foi uma das sete maravilhas do mundo. Se relacionou com homens tóxicos porque pensava que era o melhor que conseguiria obter, sua passagem da adolescência à vida adulta foi uma roda gigante com altos e baixos de alegria, validação e atração, mas também repleta de mentiras, ciúmes, questionamentos e abuso.


Until I Meet My Husband é um choque de realidade para além do universo utópico dos mangás “yaoi”, abordando homofobia, transfobia, transtornos mentais, comportamento sexual de risco e os estigmas LGBTQ+ que são alimentados por um país conservador onde a própria sociedade os trata como tabu.


Em meio a tantos tropeços, a única esperança que impulsionava Nanasaki para frente era o desejo de encontrar alguém a quem pudesse amar e ser amado verdadeiramente pelo resto da vida. Ele não só achou sua pessoa destinada, como também se casou, e mais emocionante ainda, fundou uma empresa que realiza casamentos LGBT para inspirar seus irmãos de comunidade a não perderem a esperança! Hoje, Nanasaki dirige uma empresa que ajuda pessoas LGBT a organizarem cerimônias de casamento.


Assessoria e Cerimonial de Casamentos "Juerias", empresa de Ryousuke Nanasaki.
376 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo