SHIKKE COMPARTILHA O SOFRIMENTO EMOCIONAL CAUSADO PELA TRADUÇÃO ILEGAL DE 'PINK HEART JAM'

Com o lançamento da tradução oficial em inglês de 'Pink Heart Jam', o site futekiya teve a oportunidade de entrevistar a mangaká Shikke e perguntar sobre a história por trás da decisão de lançar o BL oficialmente em outra língua.



Confira a tradução de toda a conversa, realizada pelo Yaoi Brasil:


> Vamos direto ao ponto! Você poderia apresentar 'Pink Heart Jam' para nós?


Shikke: 'Pink Heart Jam' é uma história de amor entre dois estudantes universitários: um cara simpático com um comportamento amigável e seu senpai: um menino bonito e descolado que trabalha em um box spa (casa de prostituição).


> Você poderia nos contar mais sobre o seme e o uke? Informe-nos também se houver algum ponto específico de interesse nesta história.


Shikke: [O seme] Haiga: Um simpático garoto do interior que se mudou para Tóquio ao entrar na universidade.


Ele pondera sua sexualidade e sentimentos românticos em um ambiente desconhecido e se torna mais maduro à medida que enfrenta esses dilemas.


[O uke] Kanae: Um jovem legal que trabalha em um box spa para atingir um objetivo específico.


Ele é popular devido às suas habilidades com a guitarra e boa aparência, mas estava tendo problemas para encontrar um parceiro devido aos seus gostos específicos. Suas opiniões sobre o amor começam a evoluir depois que ele conhece Haiga.


> A serialização de 'Pink Heart Jam' será retomada em breve, com os capítulos em inglês sendo lançados simultaneamente com a edição japonesa. Como você se sente sobre isso?


Shikke: O acordo de publicação simultânea entre as versões em japonês e inglês foi possível graças às respostas rápidas de meu editor e da futekiya. Muitas pessoas me ajudaram a trazer esta série de volta à vida, então eu gostaria de concentrar minha mente ainda mais em escrever os capítulos seguintes.


> Você poderia nos contar o que levou ao lançamento do 'Pink Heart Jam' no futekiya?


Shikke: Este mangá não só foi pirateado e traduzido ilegalmente sem minha permissão, mas também foi republicado em massa nas redes sociais. Era insuportável para mim ver minhas ilustrações serem rastreadas, transformadas em vídeos, editadas e transformadas em imagens compostas.


Cancelei a serialização do 'Pink Heart Jam' devido ao estresse emocional que isso causou, e também porque queria me posicionar contra a pirataria e publicações não autorizadas. Como imaginei que seria difícil retomar a serialização nas circunstâncias existentes, pensei em lançar uma tradução oficial e abordei a futekiya para discutir sobre.


Sobre Shikke


> Você poderia se apresentar?


Shikke: Meu nome é 'Shikke'.


> O que fez você querer se tornar uma mangaká?


Shikke: Estava feliz em curtir mangás como uma leitora, eu não queria me tornar uma mangaká e estava trabalhando em uma indústria diferente. Depois que meu editor examinou as obras que eu desenhava por hobby, me tornei uma mangaká.


> Quais são as coisas que você tem em mente durante suas atividades como mangaká?


Shikke: Gostar de desenhar, amar meus personagens e evitar ficar muito apaixonado por minhas obras.


> Por fim, você tem alguma mensagem para os leitores de futekiya?


Shikke: Obrigado por ler esta entrevista até o fim [...]


Assim, parece que muitas pessoas estão procurando cópias piratas para ler os capítulos o mais rápido possível. Embora a pirataria seja uma atividade ilegal que infringe os direitos dos autores e editores, o público estrangeiro tende a pensar nisso com leviandade.


Diante dessas circunstâncias, sou muito grata a todos que leram meus trabalhos pelos canais oficiais. Divulgue essas traduções oficiais para que não tenha que cancelar os lançamentos novamente.


Espero que você continue gostando de 'Pink Heart Jam'.


Fonte: https://futekiya.com/pink-heart-jam-shikke/?utm_source=hootsuite&utm_medium=twitter

Os capítulos 1 e 2 de 'Pink Heart Jam' já estão disponíveis em inglês no site futekiya.

Sinopse: O universitário Haiga acaba de entrar no Multiphonics Research Club. É lá que ele conhece um veterano impressionante, Kanae. Fascinado por sua impressionante performance de guitarra, ele pensa, “Eu quero tentar falar com ele” enquanto não consegue aproveitar qualquer oportunidade. Um dia, Haiga vai a uma festa, de um clube, para beber e, por sugestão dos veteranos, acaba experimentando em primeira mão o que acontece em uma gay box spa (casa de prostituição). Uma história de amor no campus que começou por acaso entre um jovem sociável X um “cool” e lindo senpai trabalhando na vida noturna.

801 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo