SHIKKE COMPARTILHA O SOFRIMENTO EMOCIONAL CAUSADO PELA TRADUÇÃO ILEGAL DE 'PINK HEART JAM'

Com o lançamento da tradução oficial em inglês de 'Pink Heart Jam', o site futekiya teve a oportunidade de entrevistar a mangaká Shikke e perguntar sobre a história por trás da decisão de lançar o BL oficialmente em outra língua.



Confira a tradução de toda a conversa, realizada pelo Yaoi Brasil:


> Vamos direto ao ponto! Você poderia apresentar 'Pink Heart Jam' para nós?


Shikke: 'Pink Heart Jam' é uma história de amor entre dois estudantes universitários: um cara simpático com um comportamento amigável e seu senpai: um menino bonito e descolado que trabalha em um box spa (casa de prostituição).


> Você poderia nos contar mais sobre o seme e o uke? Informe-nos também se houver algum ponto específico de interesse nesta história.


Shikke: [O seme] Haiga: Um simpático garoto do interior que se mudou para Tóquio ao entrar na universidade.


Ele pondera sua sexualidade e sentimentos românticos em um ambiente desconhecido e se torna mais maduro à medida que enfrenta esses dilemas.


[O uke] Kanae: Um jovem legal que trabalha em um box spa para atingir um objetivo específico.


Ele é popular devido às suas habilidades com a guitarra e boa aparência, mas estava tendo problemas para encontrar um parceiro devido aos seus gostos específicos. Suas opiniões sobre o amor começam a evoluir depois que ele conhece Haiga.


> A serialização de 'Pink Heart Jam' será retomada em breve, com os capítulos em inglês sendo lançados simultaneamente com a edição japonesa. Como você se sente sobre isso?


Shikke: O acordo de publicação simultânea entre as versões em japonês e inglês foi possível graças às respostas rápidas de meu editor e da futekiya. Muitas pessoas me ajudaram a trazer esta série de volta à vida, então eu gostaria de concentrar minha mente ainda mais em escrever os capítulos seguintes.


> Você poderia nos contar o que levou ao lançamento do 'Pink Heart Jam' no futekiya?


Shikke: Este mangá não só foi pirateado e traduzido ilegalmente sem minha permissão, mas também foi republicado em massa nas redes sociais. Era insuportável para mim ver minhas ilustrações serem rastreadas, transformadas em vídeos, editadas e transformadas em imagens compostas.


Cancelei a serialização do 'Pink Heart Jam' devido ao estresse emocional que isso causou, e também porque queria me posicionar contra a pirataria e publicações não autorizadas. Como imaginei que seria difícil retomar a serialização nas circunstâncias existentes, pensei em lançar uma tradução oficial e abordei a futekiya para discutir sobre.


Sobre Shikke


> Você poderia se apresentar?


Shikke: Meu nome é 'Shikke'.